Arquivo | março, 2012

My Same

9 mar

Sabe quando bate aquela saudadinha boba que você sabe que é besteira, mas ainda assim aquilo fica com você o dia inteiro? Talvez até um pouco mais?

Acho que todo mundo sente saudade o tempo todo e ela é desencarrilhada por coisas tão simples: uma música, uma cena de filme, um livro, algo que alguém disse ou algo que você pensou. Nós sentimento saudades das mais mínimas coisas como de um personagem fictício que você se apegou ou das maiores coisas… como sua amiga que está meio longe.

 

(como diz o video: Adele fez a música pra melhor amiga dela, pra falar um pouco de o quão diferente e o quão parecidas elas são…)

 

Fazendo feira

5 mar

Aqui perto de casa, no boulevard Richard Lenoir, quinta e domingo, é montada a feira mais maravilhosa que já vi. Ok, talvez existam outras melhores em Paris, mas essa tem a vantagem de estar aqui perto. E quando eu digo “feira”, quero dizer…mercado a céu aberto.

Bom, para quem está acostumada com as feiras do Rio de Janeiro, levei um susto quando fui pela primeira vez. Às oito e meia, os feirantes ainda estavam chegando e colocando os produtos à venda. Bom, o sol tinha nascido havia só meia-hora, mas mesmo assim… Como dá para ver nessa foto, a feira não vende só produtos hortifrutigrangeiros (ufa!). Várias barraquinhas vendem malas, lenços, bijuteria, meias… Por isso eu disse que era um mercado mesmo, tem de tudo um pouco.

Quando o tempo está bom (como era o caso do domingo em que eu tirei essa foto), aparecem várias modalidades de artista de rua. O tocador de realejo, para mim, é uma espécie digna de nota (assim como seu fiel assistente, que não economizava em alegria para quem dava um troco).

O mais legal é poder comprar direto de quem produz. As azeitonas são só um exemplo: fresquinhas, juro que têm um gosto diferente. Além de serem incrivelmente macias. Para quem gosta de cozinhar peixe, é um prato cheio também: fresquinhos, variados… Assim como os cortes de carne vermelha (um pouco mais caros). Um dia, compramos uma linguiça fresca de frango para fazer cachorro-quente, e também já nos aventuramos nos legumes. A abobrinha comum por aqui, por exemplo, tem a casca mais escura, mas foi uma delícia de cortar e de cozinhar.

Para quem é do time dos preguiçosos (oi!), opção também não falta, já que várias barracas vendem alimentos prontos, como chucrute, pães (lindos), saladas e até mesmo carnes. Confesso que estou namorando o frango assado há algum tempo…